Transiçao São Luís

os grupos

Transição Interior

A Transição Interior começou logo após o lançamento oficial do Movimento de Transição. Todos os membros já eram comprometidos com trabalho interior, e tinham qualificações nas areas de homeopatia, Reiki, astrólogia e psicólogia. Esse grupo cresceu e dobrou de tamanho. O primeiro ano foi dedicado ao trabalho pessoal, emocional e espiritual, hoje já no segundo ano está a integrar na  prática pessoal diária um trabalho prático que visa baixar a pegada ecológica dos seus membros.

 

Hoje temos um grupo de Transição Interior bastante forte, que agrega membros de outros grupos, como comunicação, economia e artes. Por isso pode se dizer que a Transição São Luis está se desenvolvendo de dentro para fora. O grupo trabalha a si próprio, leva o trabalho para o grupo maior e depois para a comunidade.

 

Testemunho de Sara Serrão, novo membro da Transição Interior de São Luis:
“Encontramo-nos mensalmente e temos um bom grupo de apoio mútuo e de exploração destes desafios que estão na base do desejo e da necessidade de mudar em colectivo para algo diferente. Para mim foi uma sorte chegar aqui, a S. Luís, e começar precisamente por este tipo de trabalho tão basilar".

 

 

 

 

Economia de Dentro Para Fora

O artigo publicado no jornal da Transição "Folha de Couve" por Patricia Caldeira já esta disponivel!:

http://issuu.com/nwtp/docs/folha_de_couve__4_agosto14

 

A definição etimológica de economia compõe-se de duas palavras  de origem Grega: Oikos, que significa casa, e Nomia que significa organizar.  Organizar a casa. A casa pode ser entendida em várias dimensões, seja o planeta onde habitamos, o nosso domicílio actual, e o nosso corpo. A definição etimológica implica também uma relação com recursos, mas tendo em vista a organização, a gestão, a manutenção e a harmonia. Organizar a casa, tratar do corpo e da saúde, cuidar do planeta e meio ambiente. Uma economia das avós, que sempre cuidaram da terra, dos netos e das casas. Compreender estas casas nas suas várias dimensões, na relação com, outros seres,  em redes, em famílias.

 

Transição interior de valores

Revalorizar a relação com a Natureza e com o Todo. Tomar consciência de se ser consciência.  Sentir o corpo como uma casa. Habitar o corpo. Que preciso para viver? Para alimentar o corpo, a alma, o espírito? Re encantar o mundo, tornar sagrados os elementos, dar valor. 

 

Inter-aldeias

O grupo de economia da Transição São Luis além de reavivar a economia local e participar de Transição Inteiror também participa de grupos locais cujos membros estão espalhados por todo o município. Um deles chama-se Terra da Abundância e o outro Re Co.

 

Testemunho de Patricia Caldeira, representante do grupo de Economia da Transição São Luis: "Terra da abundância funciona como um grupo de transição interior. Vivemos espalhados pelo concelho de Odemira mas reunimos frequentemente. Primeiro partilhamos as nossas emoções e vivências, focando na parte financeira das nossas vidas. Ouvimo-nos, damo-nos apoio, partilhamos informações. E criamos em conjunto, transformamo-nos e transformamos. E por fim mas não menos importante o movimento ReCo, Rede Cooperar. Uma rede interdependente não centralizada que une cooperantes numa área alargada do Alentejo,  participando  e  organizando encontros, eventos. ajudadas e mercados. Informal e não institucional, tem acção económica e social".

 

Mais adiante Patricia diz: "Apesar de estudar o actual sistema económico, não procuro uma solução centralizada e imposta. Ao invés, olho o sistema económico como um espelho de mim mesma. De dentro para fora. Que crenças tenho que permitem manter o actual paradigma económico? E que quero? Que sonho? Quero ver com olhos de abundância. Escolho pensar que a escassez que está impregnada neste sistema, inclusive na própria definição de economia de Adam Smith, não é o meu estado natural. E que é abundância? De onde vem? Quero transformar a forma de ver o meu corpo, a minha casa, o meu planeta, apenas pelo acto de lhes dar atenção, amor  e valor. Abundância é resultado de suficiência. Não existe desperdício na natureza. A insatisfação infantil que se perpetua no actual sistema consumista é insaciável, torna o mundo uma lixeira. Pode-se escolher a forma de ver e valorizar quem somos e o que nos rodeia. Transformando os valores transforma-se a percepção de quem se é, da comunidade em que se vive. De dentro para fora, o facto de me sentir parte de um todo envolve-me nele".

.

 

Artes

O grupo de artes formou-se logo após as palestras de 2013 que oficializaram o movimento de transição em São Luís.  Juntando amigos e vizinhos, foram em frente com vontade de oferecer algo à comunidade através de seus talentos individuais e recursos disponíveis. Apesar de serem poucos em numero as ‘artes’ do grupo já cobrem categorias abrangentes incluindo: artes plásticas, musica e som, culinária, design gráfico, poesia, permacultura…

 

Para melhor explorar e aplicar as suas ideias decidiram que um espaço de encontro e trabalho era importante e assim apareceu o primeiro projeto ´O Lagar´. Uma pequena adega foi disponibilizada por membros do grupo e começou então a limpeza e renovação do espaço. Graças ao trabalho continuado no Lagar foram facilitados encontros de grupos de transição, artistas tem aproveitado o espaço para preparar exposições, músicos tem conseguido ensaiar e elevar o seu nível de qualidade e recentemente o espaço teve o seu primeiro ''Conversas no Lagar'': um evento de debate inaugurado com a visita e sabedoria oferecida pelo professor Jonathan Crinion de Totnes. O espaço também será aproveitado para palestras, workshops, divulgação de filmes, noites de musica e poesia, jantares e biblioteca com troca de livros entre varias outras atividades. Neste momento foi finalizada a construção de um palco e o trabalho continua na reabilitação de uma toilete.

 

O grupo de artes também tem oferecido concertos musicais sem custo à comunidade de São Luís e esteve ajudando voluntariamente outros grupos transitantes. Seja com a organização de eventos, produção e divulgação de cartazes ou trabalhos de som e media para palestras e divulgação de filmes.

Comunicação e Marketing

Face à necessidade de transmitir à população os eventos e trabalhos desenvolvidos pelo Grupo da Transição S. Luis, foi criado um subgrupo de Comunicação.  A este grupo cabe a conceção de  cartazes, flyers e a sua distribuição à população, bem como, sempre que possível a sua divulgação através da agenda cultural do Município de Odemira. O objetivo é envolver e aproximar cada vez mais pessoas, em especial as de São Luís, neste grupo. Assim, pretende-se que estas cada vez mais participem e deem o seu contributo para que esta aldeia se torne um exemplo para a Transição em Portugal, tal como aconteceu com a Aldeia das Amoreiras.

Projetos Colaborativos

Dentro do espírito de mudança positiva, nossa proposta é de colaboração e de trabalho em rede com iniciativas comunitárias alinhadas com a Grande Transição, mesmo sob outros títulos e orientações. Não temos aqui um grupo formado, mas sim um espaço para novas idéias e projectos colaborativos.

Como exemplos, podemos citar a geração de propostas para o Orçamento Participativo desde seu inicio em 2011, a aprovação da proposta da "Aldeia Solar" para São Luís e Relíquias em 2012 e a proposta do Banco Regional de Sementes em 2014.

Colaboramos activamente com a CM-Odemira na organização do simpósio "Água como Factor Estratégico no Conselho de Odemira" em 2013. Assinalamos ainda a colaboração com o CCIAM na organização de oficina "Alterações Climaticas e Impactos na Região do Rio Mira" realizada em Odemira em 2013.

Temos ainda colaborado com iniciativas de trocas de materiais, roupas, equipamento e serviços.

Conte sempre com a nossa modesta colaboração em projectos para a nossa comunidade e região.

Transição São Luís

© 2014 Transição São Luís. Criado com prazer por Dee

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now